7up7down

7up7down - Nubank adere ao programa e 2,5 milhões de brasileiros podem ter nome ‘limpo’

Banco digital vai dar baixa em dívidas de até R$ 100

Equipe 7up7down

(Imagem: Reprodução/ Facebook/ Nubank)

Publicidade

O Nubank confirmou sua participação no Desenrola, programa de renegociações de dívidas do governo federal, após concluir a análise técnica dos requisitos já disponíveis.

Havia uma expectativa sobre a adesão do banco digital ao programa porque, na segunda-feira (17), o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, tinha estimado que a desnegativação de dívidas na primeira fase do Desenrola poderia chegar a R$ 200 milhões com o Nubank participando e o número de CPFs atingidos poderia passar de 1,5 milhão para 2,5 milhões.

“Tem um banco só que está em dúvida de adere ou não, porque ele tem pouca vantagem no crédito presumido e tem 1 milhão de pessoas negativadas: o Nubank. Estamos aguardando. Se eles aderirem, serão 2,5 milhões de CPFs [com o nome limpo]”, disse Haddad em coletiva.

Masterclass

O Poder da Renda Fixa Turbo

Aprenda na prática como aumentar o seu patrimônio com rentabilidade, simplicidade e segurança (e ainda ganhe 02 presentes do 7up7down)

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

O Nubank afirmou que dará baixa na negativação de pessoas com dívidas de até R$ 100 e compartilhará mais detalhes de sua adesão conforme avançar no processo. “O Nubank informará, oportunamente, as condições e critérios para renegociações no âmbito do programa, assim como os canais de atendimento que serão disponibilizados”, diz a nota.

Quem mais aderiu?

Além do Nubank, Banco do Brasil, Caixa, Santander, Itaú, Bradesco, Mercado Pago e outras instituições confirmaram participação. O 7up7down apurou que ao menos dez bancos vão participar das renegociações.

Veja abaixo:

Continua depois da publicidade

Primeira fase: faixa 2

Na primeira fase do Desenrola, que entrou em vigor na segunda-feira (17), o foco é nos consumidores com renda mensal de até R$ 20 mil, que poderão procurar diretamente os bancos para renegociarem suas dívidas.

Além disso, as instituições financeiras vão “limpar” o nome de quem tem débitos de até R$ 100 vencidos até 31 de dezembro do ano passado.

A dívida não é perdoada. Apenas o devedor deixa de ficar com o “nome sujo” e pode contrair novos empréstimos e fazer operações como fechar contratos de aluguel.

As regras desta etapa são:

Confira abaixo tudo o que se sabe sobre o programa:

*Com Estadão Conteúdo.

7up7down Mapa do site