7up7down

7up7down - Na China, PBoC corta taxa de juros de referência (LPR) de 1 ano de 3,55% para 3,45%

Esse foi o segundo corte feito pelo PBoC na taxa de 1 ano em dois meses: em junho, a autoridade também havia cortado a LPR em 10 pontos-base

Estadão Conteúdo

Publicidade

O Banco do Povo da China (PBoC, o banco central chinês) reduziu a taxa de juros de referência para empréstimos (LPR, na sigla em inglês) de 1 ano de 3,55% para 3,45%, segundo comunicado divulgado nesta segunda-feira (21) pela instituição. A taxa para empréstimos de 5 anos foi mantida em 4,20%.

Esse foi o segundo corte feito pelo PBoC na taxa de 1 ano em dois meses: em junho, a autoridade havia cortado a LPR de 3,65% para 3,55%, nível que havia sido mantido em julho pelo BC chinês.

Insuficiente

A Capital Economics avalia que a abordagem do BC da China terá efeito “limitado” no quadro atual e “não é suficiente para colocar um piso no crescimento” do país. Segundo a consultoria, os cortes de juros do PBoC nos últimos dias ocorrem em meio a crescentes preocupações entre formuladores de políticas sobre a saúde da economia da China.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

A consultoria diz que havia ampla expectativa por um corte de 15 pontos-base na LPR de 1 ano nesta segunda-feira, portanto a redução ficou abaixo do esperado. A Capital vê os formuladores de política ainda se importando com o câmbio, como evidenciado por intervenções recentes no mercado cambial, “mas agora eles parecem mais preocupados com a economia”.

Ela diz que isso “não surpreende”, após índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) negativo recente, com o crescimento do crédito “extremamente contido” e estagnação na atividade e nos gastos.

De qualquer modo, o PBoC parece “adotar uma abordagem cautelosa para a política monetária”, acredita a Capital. A manutenção da taxa de 5 anos sugere que o BC chinês busca um equilíbrio entre apoiar a atividade e responder a preocupações com os bancos, que sofrem com juros mais baixos e a queda na lucratividade.

Continua depois da publicidade

A Capital Economics vê os cortes recentes do PBoC como de impacto limitado, mas avalia que deve haver outras medidas, como corte no compulsório, para relaxar mais a política. Ainda assim, a consultoria espera “apenas apoio modesto” ao crescimento do crédito e à atividade econômica mais ampla.

(Com informações da Dow Jones Newswires)

7up7down Mapa do site