7up7down

7up7down - EUA anunciam retirada de entidades de lista de “não verificadas” para exportações; porta-voz chinês vê “sinal de respeito”

Em coletiva de imprensa, Wang Wenbin reforçou que a China vai continuar a defender os interesses das instituições chinesas

Estadão Conteúdo

(Shutterstock)

Publicidade

A decisão dos EUA de retirar 27 empresas chinesas de sua lista não verificada – que estabelece uma série de sanções – mostra que “ambos os países estão abordando as preocupações individuais com respeito mútuo”, afirmou o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Wang Wenbin.

Em coletiva de imprensa, Wang reforçou que a China vai continuar a defender os interesses das instituições chinesas, e que seu país “saúda” a decisão tomada pelos norte-americanos na manhã desta terça-feira.

Os Estados Unidos anunciaram em comunicado a retirada de 33 entidades, 27 delas da China, de sua lista de “não verificadas” para exportações. A nota explica que as autoridades norte-americanas buscam checar a legitimidade e a confiabilidade de destinatários finais de suas vendas.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

O Escritório de Indústria e Segurança (BIS, na sigla em inglês) do governo norte-americano atua para garantir a legitimidade e a confiabilidade de parceiros estrangeiros que recebem exportações dos EUA.

Autoridades norte-americanas buscam verificar os finalidades de seus produtos vendidos, com isso realizam uma checagem, com o BIS e outras agências americanas envolvidas.

Até a emissão da lista, a China demorava a colaborar nessa checagem, mas depois disso Pequim ajudou os EUA a checarem as informações e a garantir sua confiabilidade, diz o comunicado.

Continua depois da publicidade

Além das entidades chinesas, outras de Paquistão, Indonésia, Cingapura, Turquia e Emirados Árabes estavam entre os alvos do relaxamento anunciado nesta terça-feira.

7up7down Mapa do site